Aplicativo

águia

 

Era o que eu pensava!

Tinha que haver uma razão palpável para que o aplicativo do celular me mandasse passar por lugares duvidosos, toda vez que quero ir a algum lugar cujo endereço, de fato, não conheço.

“Você não configurou direito o seu app”, me dizem alguns amigos. “Você não especificou a rota”, me informa Alessandra, aquela voz que sempre me manda dobrar à esquerda quando eu sei – eu sei! – que devo dobrar à direita para me manter em uma rua iluminada. “Na próxima, dobre à esquerda”, ela diz, profissional. “Há duzentos metros, dobre à esquerda”, ela insiste, pouco depois. “Vire à esquerda”, ela manda mais adiante e é quando eu percebo, sim, finalmente, percebo, que não é um robô, não é uma gravação, é uma pessoa que está me mandando dobrar à esquerda, porque estão monitorando a rota e ela já perdeu a paciência comigo. “Afinal, por que essa louca aciona o aplicativo, se não vai obedecer?” explica a moça ao seu superior, através de uma câmera impessoal, enxugando lágrimas de raiva. Alessandra nunca viu seu superior, sequer sabe se ele existe mesmo. O que dá quase igual, porque ela não se chama “Alessandra”, esse é o codinome, e ela, na real, é Lúcia Mara, filha da dona Terezinha, e recrutada através de um questionário que veio junto com o recibo da lavanderia, e que dizia, em letras garrafais “CANSADA DO BBB? VENHA CONFERIR A VIDA REAL EM TEMPO REAL. Preencha o cadastro e espere o nosso contato”. Que é só um dos muitos meios que eles usam para recrutar gente aborrecida com o seu cotidiano.

Eles. O FBI, a CIA, o Departamento de Pombos Correio, os chineses, os russos, os marcianos e os caras da Terra Oca, esses aí, que comandam a interface chamada “realidade”.

Ou algo assim, de acordo como WikiLeaks.

De acordo com o WikiLeaks, ninguém escapa: IOs, Windows (mas esse é um queijo suíço, mesmo), Linux, Android, não importa o que você use, não importa o que você faça, não importa se você pensa. Se tiver uma televisão da marca Sansung, então, nem se fala! Por que a Sansung? Nem ideia. Vai ver que eles gostam do logotipo. Em todo o caso, eles sabem e – mais assustador – nos controlam. Sabem o que você acessa, o que você faz, o que você diz. E direcionam o que você acessa, o que você faz, levando você a dizer coisas que jamais diria se fosse dono do seu nariz. Aposto que sabem até o que a gente nem sabe que pensa mas, o mais sério de tudo isso: eles sabem quem é a Alessandra e são eles que dizem à Alessandra, que na verdade é a Lúcia Mara, para me dizer para dobrar à esquerda.

Não dobro, viu Alessandra? E, John, diga aos seus guris da CIA para parar de me fazer andar por lugares estranhos! Pare de me mandar para ruas suspeitas, esburacadas e cheias de lixo, como as que eu vi em Canudos, essa semana. Um horror! Eu não sou sua espiã autorizada!

Aff! Não, Mr. Brennam, não me refiro ao episódio do Século XIX. “Canudos”, o bairro da cidade onde  moro. Pelo restante do território é o bangue-bangue tradicional. Pelo menos a gente devia conseguir o contato do John Wayne ou do Jaspion, para pedir ajuda. Porque do que jeito que vai o cotidiano, vou te contar, se não for com uma teoria da conspiração, não há quem entenda.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s